11 . 2539.6470 / 11 . 2645.7298 / Whatsapp: (11) 96587-7395

Responda rápido: você sente muita vontade de se submeter a uma cirurgia plástica para corrigir aquela imperfeição que insiste em não deixá-la à vontade na frente do espelho ou do parceiro?

Obviamente, não há nada de errado com isso. Querer melhorar a própria imagem para se sentir ainda mais bonita e autoconfiante é um comportamento bastante natural.

No entanto, quando a obsessão com aquilo que se considera um defeito começa a ocupar um espaço excessivo na sua vida e a “necessidade” de realizar cirurgias plásticas nunca cessa, é preciso buscar entender melhor as causas dessa insatisfação.

Estima-se que no Brasil cerca de 150 mil pessoas por ano sejam diagnosticadas com transtorno dismórfico corporal, distúrbio que provoca uma preocupação excessiva com a autoimagem, levando o paciente a valorizar de maneira desproporcional um defeito que acredita ter na própria aparência.

Em muitos casos, na tentativa de sanar esse “defeito” — que pode ser mínimo ou mesmo inexistente — o paciente se exercita em excesso ou passa a recorrer a sucessivas cirurgias plásticas e procedimentos estéticos.

Cirurgia plástica: afinal, qual é o limite?

É nesse momento que um cirurgião plástico experiente e, principalmente, comprometido com valores éticos, faz toda a diferença. Isso porque é importante considerar que qualquer procedimento cirúrgico, por mais seguro que seja, envolve riscos. Por isso, é fundamental que o paciente seja submetido a uma avaliação criteriosa antes da indicação da cirurgia plástica.

Colocar seu desejo de mudança nas mãos de um profissional responsável é fundamental para obter resultados duradouros e seguros. Um cirurgião plástico experiente e ético é capaz de avaliar com franqueza e sinceridade se a cirurgia plástica é realmente indicada para o seu caso ou se trata-se de uma questão que precisa ser avaliada por outros profissionais, como psicólogos.

Profissionais com esse tipo de orientação também estão sempre dispostos a conversar com suas pacientes sobre suas expectativas com relação ao resultado que será obtido. Isso porque não é incomum encontrar pessoas que chegam ao consultório com projeções irreais a respeito das possibilidades de uma cirurgia plástica.

É sempre importante ter em mente que um procedimento cirúrgico envolve diversos fatores, que vão da idade e do histórico clínico da paciente à qualidade da sua pele. Por isso, o resultado obtido por uma amiga ou mesmo por uma celebridade não necessariamente será idêntico no seu caso.

Também é preciso se perguntar quais são os motivos que levam ao desejo de fazer uma cirurgia plástica. Também é bastante comum que algumas pacientes coloquem no procedimento expectativas irreais não só com relação aos resultados, mas às mudanças que a cirurgia trará para sua vida.

Lembre-se sempre de que trata-se de um procedimento estético que pode ajudá-la a sentir-se mais bonita e autoconfiante, não uma solução mágica para problemas que envolvem relacionamentos pessoais e profissionais, por exemplo.

Como escolher o profissional ideal para a cirurgia plástica?

Diante desse cenário, é fundamental escolher um cirurgião plástico experiente, que possa orientá-la de maneira realista tanto no que diz respeito à indicação do procedimento quanto aos resultados que poderão ser obtidos.

Considere sempre que, por maior que seja sua vontade de se submeter aquele procedimento, cirurgias plásticas conduzidas por profissionais sem a qualificação necessária ou sem a indicação adequada podem produzir resultados desastrosos, que deixarão marcas no seu corpo e na sua autoestima e podem até trazer riscos para a sua segurança e bem-estar.

Por isso, na hora de escolher o cirurgião plástico, leve em conta as seguintes dicas:

  • escolha um profissional com sólida experiência e que seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica;

  • desconfie de profissionais que cobram preços muito abaixo daqueles praticados pelo mercado ou que indicam qualquer tipo de cirurgia, sem se preocupar com suas reais necessidades. Na maioria dos casos, por mais frustrante que isso possa parecer, um profissional que se nega a realizar um determinado procedimento está zelando pela sua saúde e bem-estar;

  • verifique a infraestrutura de que o médico dispõe para realizar o procedimento: avalie se a clínica oferece o conforto e segurança necessária para o pré e pós-operatório e se as cirurgias são realizadas em hospitais bem equipados e com credibilidade no mercado;

Gostou de saber um pouco mais sobre a importância de escolher um cirurgião plástico experiente e os limites éticos que envolvem a realização de uma cirurgia plástica? Se você quiser saber mais sobre a infraestrutura e os procedimentos oferecidos pela Clínica Lange, entre em contato conosco! Será um prazer atendê-la!

Share This