11 . 2539.6470 / 11 . 2645.7298 / Whatsapp: (11) 96587-7395
Cirurgias plásticas e procedimentos estéticos que rejuvenescem  seu visual

Cirurgias plásticas e procedimentos estéticos que rejuvenescem seu visual

Que quando realizada por um profissional altamente capacitado, a cirurgia plástica rejuvenesce, ninguém duvida. No entanto, na hora de tomar a decisão, a grande variedade de técnicas e procedimentos pode provocar dúvidas até mesmo em quem já procurou se informar bastante sobre o assunto.

Afinal, quais tipos de cirurgias plásticas são mais indicados para quem quer garantir uma aparência mais jovem e descansada? A partir de que idade eles são recomendados? Será que o resultado vai ficar natural?

Para responder essas e outras questões, elaboramos uma lista com os procedimentos mais indicados para quem está pensando em renovar o visual. Acompanhe a leitura!

Cirurgia plástica rejuvenesce? Confira os procedimentos que provam que sim!

1. Blefaroplastia

Se a ideia é fazer uma cirurgia plástica que rejuvenesce, a blefaroplastia precisa estar no topo da sua lista. O procedimento tem como objetivo eliminar o excesso de pele que se forma na região ao redor dos olhos e deixa o paciente com um aspecto cansado e envelhecido.

Realizada com anestesia local com sedação ou geral, a cirurgia atua nas pálpebras inferiores e superiores e oferece excelentes resultados, que podem ser observados já nas primeiras semanas após a intervenção, quando o inchaço começa a regredir.

O pós-operatório é bastante simples — em geral, o médico recomenda o uso de compressas com soro fisiológico e a administração de pomadas lubrificantes —, o que permite um rápido retorno às atividades diárias.

A cirurgia é recomendada para homens e mulheres que se incomodam com a aparência envelhecida provocada pelo excesso de pele nessa região e buscam um procedimento seguro e efetivo.

2. Lifting facial

Procedimento que figura entre os favoritos entre as mulheres acima dos 50 anos, o lifting facial é uma cirurgia plástica que rejuvenesce a paciente em até 15 anos com resultados bastante naturais.

A técnica consiste na realização de incisões ao redor do couro cabelo e da orelha para promover a retirada do excesso de pele e o levantamento dos músculos e estruturas da face, reduzindo ou mesmo eliminando a flacidez, rugas e marcas de expressão dessa região.

Embora seja uma cirurgia plástica recomendada para homens e mulheres a partir dos 50 anos, o procedimento pode ser realizado antes dessa idade em pacientes que possuem predisposição genética para flacidez e naqueles que apresentam a pele do rosto envelhecida precocemente por questões ligadas ao estilo de vida, como excesso de exposição ao sol, alimentação pouco equilibrada ou tabagismo.

Um dos maiores benefícios associados à técnica são os resultados naturais que ela apresenta, já que o lifting facial não deixa a pele  do paciente com aspecto “repuxado” ou “plastificado”.

Para garantir o sucesso do procedimento é importante não deixar a realização da cirurgia plástica para depois: quando realizado antes dos 60, o lifting facial oferece melhores resultados que após essa idade.

3. Toxina botulínica

Embora não se trate de uma cirurgia plástica, mas de um procedimento estético, a aplicação de toxina botulínica figura entre as alternativas mais populares e eficazes para mulheres que buscam rejuvenescer ou mesmo evitar o envelhecimento precoce de maneira simples e rápida.

O procedimento é minimamente invasivo, sem a necessidade da realização de cortes, e pode ser realizado em 20 minutos no consultório médico, após os quais a paciente pode retomar suas atividades diárias normalmente.

A aplicação de toxina botulínica deixa a pele com um aspecto liso e revitalizado, eliminando principalmente as rugas de expressão que se formam na testa, na região ao redor dos olhos, no espaço entre as sobrancelhas e na área ao redor do nariz.

O procedimento paralisa os músculos dessas regiões, o que além de diminuir as rugas ajuda a retardar o processo de envelhecimento. A aplicação de toxina botulínica é indicada para pacientes a partir dos 35 anos, o que além de garantir excelentes resultados ajuda a postergar bastante a necessidade de realização de uma cirurgia plástica.

É importante ressaltar que para garantir resultados efetivos e seguros, cirurgias plásticas devem ser realizadas exclusivamente por médicos altamente capacitados para a realização desses procedimentos.

Escolha sempre um profissional que seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e possua experiência comprovada na realização da técnica. Desconfie sempre de preços muito abaixo daqueles praticados no mercado e escolha um profissional capaz de realizar uma indicação bem planejada, adequada às suas necessidades.

Gostou de saber mais sobre cirurgias plásticas que rejuvenescem? Se você ficou interessada na realização desses procedimentos, conheça a Clínica Lange e venha ficar ainda mais bonita!

O inverno é excelente para fazer sua cirurgia. Saiba porque!

O inverno é excelente para fazer sua cirurgia. Saiba porque!

Além de combinar perfeitamente com bebidas quentes e programas mais intimistas, dias frios são também uma oportunidade perfeita para cuidar melhor da sua beleza e autoestima. Fazer uma cirurgia plástica no inverno traz uma série de vantagens para quem deseja chegar à estação mais quente do ano satisfeita com aquilo que vê no espelho e acelerar a recuperação.

Entenda melhor!

5 motivos para fazer sua cirurgia plástica no inverno

1. A recuperação é mais rápida

Ao fazer uma cirurgia plástica no inverno você tende a reter menos líquido e a sofrer menos com os inchaços e edemas que costumam ser bastante comuns em quem se submete a esse  tipo de procedimento.

Com isso, a recuperação acontece de maneira mais ágil e você pode retomar suas atividades normais mais rapidamente.

2. A menor exposição ao sol favorece a cicatrização

Como nessa época do ano você vai estar naturalmente menos exposta ao sol e com roupas que protegem mais a pele, as chances de que as cicatrizes deixadas pelo procedimento fiquem manchadas ou escurecidas caem drasticamente.

De qualquer maneira, a recomendação é a mesma em qualquer época do ano: no pós-operatório, evite expor-se ao sol no período indicado pelo cirurgião plástico e, sempre que precisar sair de casa, capriche no filtro solar e em outras medidas de proteção do sol, como chapéus, viseiras e óculos escuros.

3. A temperatura garante maior conforto no pós-operatório

Outra grande vantagem de fazer sua cirurgia plástica no inverno é que as baixas temperaturas garantem maior conforto no pós-operatório. Isso porque é bastante comum que após alguns procedimentos seja necessário usar cintas e sutiãs específicos para essa etapa, que podem incomodar bastante nos dias de verão.

Com o tempo mais ameno, é possível utilizar esse tipo de acessório com mais tranquilidade do que em dias quentes e, principalmente, com mais discrição.

Em palavras simples, roupas que cobrem mais o corpo deixam você mais à vontade durante a recuperação e evitam a exposição desnecessária de edemas e cicatrizes que podem deixá-la desconfortável.

4. Há mais tranquilidade para fazer repouso

Realizar sua cirurgia plástica no inverno também ajuda você a manter o repouso necessário após esse tipo de procedimento.

Diferente do que acontece no verão, as baixas temperaturas são um convite para ficar relaxada, curtindo um bom filme na cama ou no sofá, o que garante maior tranquilidade para que seu organismo se recupere.

Quando você passa mais tempo tranquila, sem movimentação excessiva ou movimentos bruscos, os vasos sanguíneos se dilatam menos e a retenção de líquidos é menor. Resultado: em menos tempo, você vai estar mais bem disposta para retomar suas atividades normais com total segurança.

Para pacientes que possuem filhos, é possível aproveitar ainda as férias escolares do meio do ano. Com a agenda menos atribulada pelos compromissos diários dos pequenos, fica mais fácil fazer essa pausa tão necessária para obter os melhores resultados da cirurgia plástica.

5. Permite que você esteja recuperada para o verão

Praia, piscina, reuniões com os amigos… O verão é um convite para as atividades ao ar livre e com roupas que deixam o corpo naturalmente mais à mostra, não há como negar.

Por isso, quando você opta por fazer sua cirurgia plástica no inverno, consegue contar com tempo suficiente para estar totalmente recuperada e curtir  a estação mais quente do ano.

Isso porque até a chegada do verão, além de ter cumprido o período de repouso determinado pelo médico, você terá tido tempo de sobra para eliminar o inchaço e poderá usufruir dos resultados finais da cirurgia plástica.

É importante ainda que você tenha em mente que mais importante que a estação do ano escolhida para realizar a cirurgia plástica é o profissional que vai executá-la. Antes de tomar a decisão final, certifique-se de que o médico escolhido é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e tem ampla experiência na realização do procedimento.

Além disso, certifique-se de que o profissional conta com uma clínica com infraestrutura completa para atender os pacientes no pré e pós-operatório e realiza a cirurgia plástica em hospitais com credibilidade no mercado. Lembre-se sempre que sua segurança deve vir em primeiro lugar!

Gostou de saber mais sobre as vantagens de fazer sua cirurgia plástica no inverno? Então aproveite para se informar melhor sobre procedimentos estéticos no nosso blog! OU agende agora a sua consulta!

Assimetria nos seios? Implantes mamários podem ajudar

Assimetria nos seios? Implantes mamários podem ajudar

Na hora de colocar um biquíni ou mesmo aquele decote, você já se sentiu incomodada com a diferença de volume entre os seus seios? Acredite, você não está sozinha, até porque todas as mulheres tem algum grau de assimetria mamária; ela é uma questão mais comum do que se imagina. A boa notícia é que o desconforto tem solução, e na maior parte dos casos, atende pelo nome de implantes mamários.

Entenda melhor!

Afinal, o que é assimetria mamária?

Em primeiro lugar, é importante que você tenha em mente que o corpo é naturalmente assimétrico. No entanto, muitas vezes essa falta de igualdade entre um lado e outro é imperceptível e, em outros, é maior e pode incomodar.

Em geral, a assimetria mamária é caracterizada por diferenças no aspecto dos seios das mulheres que não se limitam ao volume, mas também ao formato, posição e tamanho das aréolas, prolongamento lateral da mama e inserção no tórax.

Normalmente, o problema estético costuma incomodar com maior frequência quando aparece em grau mais elevado, ou seja, quando um lado do sutiã fica menos preenchido que o outro, ou quando esta diferença fica visível em roupas mais justas, no biquini, etc.

Quando a assimetria mamária deve ser corrigida?

A assimetria mamária deve ser corrigida sempre que provocar incômodo ao bem-estar emocional e a autoestima da paciente. Quando o pensamento sobre o assunto é recorrente, isto é, sempre ao olhar no espelho, a mulher lembra daquilo.

Como a assimetria mamária pode ser corrigida?

Embora as maneiras de corrigir a assimetria mamária possam variar de acordo com o tipo e o grau do problema, uma das maneiras maneiras mais simples de resolver a questão é mesmo realizando a cirurgia de implantes mamários.

A técnica, além de segura, deixa cicatrizes pequenas e é uma das mais eficientes para minimizar a diferença entre os seios, já que é possível implantar, por exemplo, uma prótese  de silicone de 300 ml na mama esquerda e outra de 350 ml na mama direita, corrigindo a discrepância entre elas.

Se a assimetria mamária estiver relacionada ao posicionamento da mama, e também à aréola, a mastopexia – cirurgia que pode envolver tanto o reposicionamento do complexo aréolo-papilar, como a remoção de pele e levantamento da mama -, é mais indicada.

Os implantes mamários e a mastopexia eliminam totalmente a assimetria?

É importante ter em mente que nem os implantes mamários e nem a mastopexia são capazes de eliminar a assimetria mamária em sua totalidade. Isso porque, como dissemos anteriormente, o corpo é naturalmente assimétrico e é impossível deixar as duas mamas exatamente idênticas.

Também leve em consideração que os seios ficam discretamente inchados durante algumas semanas após a inserção dos implantes mamários e que é preciso seguir atentamente as recomendações médicas no que diz respeito ao pós-operatório para garantir o sucesso do procedimento.

Além disso, fique bastante atenta na hora de escolher o cirurgião plástico que será responsável pela correção da sua assimetria e, consequentemente, pelos seus implantes mamários.

Certifique-se de que estará nas mãos de um profissional experiente e altamente gabaritado. Isso porque, em geral, assimetrias muito pequenas não têm indicação de cirurgia, já que o procedimento provoca cicatrizes que podem variar em tamanho e qualidade.

Por isso, é importante confiar o seu caso a um profissional que coloca o bem-estar de suas pacientes em primeiro lugar. Quando uma avaliação responsável e coerente irá determinar se a sua assimetria mamária necessita realmente de correção cirúrgica além dos implantes. Uma mamoplastia ou mastopexia desnecessária, por indicação equivocada, é um caminho sem volta, pois as cicatrizes decorrentes do procedimento ficarão para sempre. Mesmo que melhorem com o tempo.

Durante a consulta, além da sua saúde e histórico médico, o profissional irá avaliar algumas medidas, como a altura, seu biotipo, o diâmetro e a distância entre as aréolas, sulco inframamário, qualidade da pele e tecido mamário…. Também vai pedir exames de rotina para certificar-se de que você está realmente apta para a realização da cirurgia de implantes mamários.

Desconfie de profissionais que apresentam os implantes mamários ou qualquer outro procedimento como solução para a assimetria sem nem mesmo avaliar o seu caso com detalhismo. Lembre-se sempre de que um cirurgião plástico de confiança irá sempre pesar os prós e contras da cirurgia para cada paciente antes de fazer a indicação do procedimento. Ética é indicar o melhor procedimento para você; e não o mais rentável ao médico.

Como você pode ver, aquela assimetria entre as mamas que tanto te incomoda tem solução! Em grande parte dos casos, os implantes mamários minimizam o problema de maneira a torná-lo praticamente imperceptível, devolvendo a autoestima e o bem-estar da paciente.

Gostou de saber mais sobre as possibilidades de correção da assimetria das mamas? Se você ainda tem dúvidas sobre a eficácia dos implantes mamários na solução do problema, confira os depoimentos de quem já fez a cirurgia! Se preferir, entre em contato com a Clínica Lange.

Como eliminar a bananinha e deixar o bumbum mais bonito

Como eliminar a bananinha e deixar o bumbum mais bonito

Queixa comum entre as mulheres, a bananinha, aquela gordurinha que se instala logo abaixo do bumbum, é tão incômoda quanto difícil de eliminar. Em muitos casos, nem a mais rígida das dietas ou o mais completo programa de exercícios físicos é capaz de eliminar essa característica.

Para a cirurgia plástica, a bananinha também continua sendo um grande desafio. No entanto, não é preciso se desesperar, o problema pode ser melhorado! Com a ajuda de um cirurgião plástico experiente e qualificado, já é possível amenizar bem a bananinha e garantir um bumbum mais bonito. Saiba mais!

Em primeiro lugar, o que é a bananinha?

A bananinha ou banana fold é aquele acúmulo de tecido e gordura localizado na região abaixo dos glúteos e que compromete a estética do bumbum. Esse acúmulo de gordura pode apresentar variações de volume de um lado para outro do corpo, deixando o problema ainda mais evidente.

Em geral, a bananinha tem origem por fatores genéticos e congênitos, e também por uma alimentação desregrada, sedentarismo, mudanças hormonais, tabagismo, ou até mesmo pela passagem natural dos anos, que provoca alterações nas fibras de colágeno na pele, deixando-a menos firme.

Além de variações de volume, a bananinha também pode apresentar variações no formato: há pacientes como mais acúmulo de pele, e outras, de gordura. Por isso, ao pensar em recorrer a uma cirurgia plástica para melhorar o problema, é importante buscar um cirurgião experiente para que ele possa fazer uma avaliação individual e indicar a técnica mais adequada para o seu caso.

Como é um problema multifatorial — ou seja, não é provocado exclusivamente por má alimentação ou falta de exercícios físicos — a bananinha pode surgir até mesmo em mulheres cujo peso está dentro dos parâmetros considerados normais para o seu biotipo.

No entanto, investir em uma alimentação saudável, que prioriza carnes magras, frutas, verduras e legumes, e diminuir ou eliminar o consumo de açúcar, alimentos processados, frituras e farinha branca, ajuda a prevenir ou amenizar a questão da bananinha.

Apostar na prática regular de atividades físicas, principalmente na musculação, vai ajudar a tonificar o corpo e melhorar a flacidez. Isso também é uma excelente medida para quem quer se livrar da bananinha.

Nesse sentido, é preciso dar atenção extra aos exercícios que atuam sobre os músculos das coxas e glúteos, como agachamento, stiff, levantamento terra e afundo, e manter a prática regular. Para obter bons resultados, o ideal é se exercitar no mínimo três vezes por semana, durante 30 minutos.

Tratamento coadjuvantes, como a criolipólise e a radiofrequência focada, por exemplo, podem oferecer bons resultados quando associados a outras técnicas, porém ambos tem eficácia limitada na melhora da bananinha.

Me alimento bem e faço exercícios, mas a bananinha não vai embora. A lipoaspiração é a solução?

Sim, se a sua bananinha for decorrente somente de um acúmulo de gordura localizada. No entanto, é preciso lembrar que o problema pode também ser provocado por um excesso de tecido cutâneo e subcutâneo, e que a lipoaspiração, nesse caso, poderia até piorar o problema.

Isso porque a flacidez e o excesso cutâneo ficariam ainda mais acentuadas, sobretudo porque não poderá mais contar com a sustentação e preenchimento da gordura da bananinha abaixo dela. Com isso, você até conseguiria reduzir a bananinha, mais ganharia ainda mais flacidez e dobras de pele, o que comprometeria o resultado estético final.

Outros métodos não-invasivos podem até atenuar um pouco a flacidez ou mesmo reduzir levemente a gordura localizada, mas não eliminam de vez a bananinha. Nesse cenário, a lipoescultura e a lipoaspiração à laser surgem como potenciais soluções para quem quer se ver livre do problema.

O que é a lipoescultura?

A lipoescultura é uma técnica da cirurgia plástica que retira gordura localizada de uma região do corpo e usa-a para remodelar e melhorar o contorno corporal, preenchendo outras regiões que necessitam de maior volume e/ou melhor contorno.

Para realizar o procedimento, o cirurgião injetará na região a ser lipoaspirada uma solução que contém soro fisiológico, anestésico e adrenalina, cuja ação vasoconstritora reduz muito os sangramentos, grandes inchaços e manchas roxas comuns no pós-operatório de lipoaspirações menos cuidadosas.

Na sequência, cânulas de sucção bem finas são introduzidas através de uma mínima incisão. A cânula é manuseada gentilmente, em movimentos contínuos de vai e vem, que ajudam a soltar a gordura e a sugá-la – somente cirurgiões experientes têm condições de executar esse procedimento de modo correto e segura, garantindo os melhores resultados.

A gordura obtida durante esse procedimento, rica em células-tronco, é então separada dos demais líquidos num aparelho específico, e logo reposicionada em outras áreas do corpo, modelando as regiões receptoras. Não há risco de rejeição, por se tratar da gordura do mesmo paciente.

Esse tipo de procedimento cirúrgico dura entre 1 e 3 horas e é realizado sempre no hospital, com anestesia local e sedação, ou geral, segundo indicação do médico anestesista. A alta hospitalar é no mesmo dia, com o paciente em ótimas condições.

Afinal, a lipoescultura melhora a bananinha mesmo?

Quando bem indicada, a lipoescultura é uma técnica bem eficaz. A princípio, pode parecer fora de propósito realizar um procedimento cirúrgico que enxerta gordura no bumbum para resolver um problema provocado justamente pelo acúmulo de gordura na região. Mas para moldar a região, muitas vezes é necessário uma combinação de técnicas: remove-se a gordura onde ela está em excesso, e enxerta-se onde falta preenchimento.

Porém, é importante ressaltar que o procedimento não é indicado quando a paciente possui uma bananinha com excesso de pele flácida. Nesses casos, a modalidade mais indicada é a lipoaspiração à laser: o laser causará uma retração do tecido subcutâneo flácido, através da estimulação das fibras de colágeno. Entenda que o laser não é aplicado sobre a pele, e sim, sob a pele, dentro do tecido subcutâneo, no mesmo plano que a cânula de lipoaspiração.

Além disso, é preciso ter em mente que para obter o resultado desejado, o tratamento da bananinha precisa ser feito por um cirurgião plástico experiente, que conheça tanto as  técnicas quanto suas indicações, e esteja totalmente capacitado para executá-la.

Como é o pós-operatório da lipoescultura?

Após a cirurgia, a paciente pode sentir algum desconforto ao toque nas regiões operadas, que são aliviadas com analgésicos de rotina. Leve inchaço e mínimas equimoses (“amarelinhos”) na região também são comuns e esperadas, mas regridem espontaneamente com o passar do tempo e não apresentam qualquer gravidade.

Para garantir o melhor resultado possível da cirurgia, é fundamental seguir as recomendações médicas, prevenindo intercorrências facilmente evitáveis. Entre as recomendações mais comuns estão o repouso, alimentação balanceada, cinta modeladora, e sessões de drenagem linfática, que ajudam a eliminar o inchaço e melhorar a circulação local.

Também é importante seguir as recomendações do cirurgião plástico no que diz respeito ao tempo de afastamento da prática de atividades físicas e exposição ao sol.

Em quanto tempo é possível ver os resultados?

Ainda que em 2 a 3 semanas já seja possível ver alguns resultados da lipoescultura, a redução completa do inchaço das áreas operadas costuma acontecer por volta dos 2 a 3 meses, quando você terá uma ideia definitiva das melhoras decorrentes da lipoescultura.

Eu corro algum risco ao fazer uma lipoescultura?

Como qualquer outra cirurgia, a lipoescultura pode trazer riscos na sua realização quando: a) profissional médico não é qualificado ou não tem experiência; b) paciente não se encontra em condições físicas ideais para uma cirurgia; c) a indicação de cirurgia é inadequada ou incorreta; d) quando a cirurgia é realizada em local sem infraestrutura hospitalar segura.

Para minimizar qualquer chance de eventuais complicações, é fundamental escolher um cirurgião plástico capacitado e experiente, que opere em hospitais com infraestrutura completa, com equipe médica de ponta.

Passe longe de cirurgiões que oferecem procedimentos mais baratos, que podem ser realizados em espaços improvisados. Caso aconteça algum tipo de intercorrência, você não contará com uma estrutura médica adequada de suporte emergencial, colocando em risco sua vida.

Como escolher o cirurgião plástico ideal para realizar a lipoescultura?

Como você já sabe, para garantir o maior sucesso na solução da incômoda bananinha no bumbum sem qualquer prejuízo à sua saúde, é preciso ter muito cuidado na hora de escolher o cirurgião plástico que vai realizá-la. Saiba a que pontos você deve estar atenta:

1. Cheque as credenciais do profissional

Nunca faça nenhum tipo de procedimento cirúrgico estético com um médico que não seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Para descobrir se o profissional com quem você vai se consultar está filiado a SBCP, basta fazer uma consulta ao site da instituição.

Também é importante verificar se o cirurgião plástico tem experiência nessa técnica, para evitar equívocos que possam comprometer o resultado final. Verifique se o médico mantém participações em cursos de especialização no Brasil e no exterior; isso demonstra que o profissional tem interesse em manter-se atualizado sobre as mais modernas técnicas e procedimentos, e investe no seu aperfeiçoamento constante.

2. Conheça as impressões de pacientes

Poucas coisas falam tanto sobre a credibilidade e habilidade de um médico como a satisfação de pacientes que já se submeteram a procedimentos cirúrgicos com ele.

Por isso, cheque as redes sociais e o site oficial do cirurgião plástico para verificar se há depoimentos de pacientes satisfeitas com os resultados obtidos e com o atendimento prestado. Converse longamente com ele sobre suas expectativas e os resultados que poderão ser obtidos com a realização do procedimento para alinhar desejo x realidade.

3. Desconfie de milagres

São poucos os casos de quem busca um profissional para fazer uma cirurgia plástica com orçamento ilimitado.

No entanto, é igualmente importante desconfiar de cirurgiões plásticos que fazem ofertas “milagrosas”, com preços muito abaixo daqueles praticados no mercado. Por isso, é melhor planejar-se financeiramente para fazer a cirurgia do que ceder à tentação de pagar menos e frustrar-se depois.

Lembre-se sempre de que uma cirurgia plástica envolve, além da expertise do médico que a realiza, uma série de outros custos, e que preços baratos podem comprometer não só o resultado da sua cirurgia, mas também colocar em risco a sua saúde.

4. Avalie a infraestrutura oferecida pelo cirurgião

Na hora de escolher o cirurgião plástico, avalie também a infraestrutura que o profissional dispõe para atendê-la, tanto durante a lipoescultura, como no pré e pós-operatório.

Opte por um profissional que possua uma clínica bem estruturada, mas realize as cirurgias em hospitais de qualidade reconhecida e dotados de UTI, o que garante a você total segurança se houver alguma eventualidade.

A Clínica Lange, por exemplo, realiza seus procedimentos cirúrgicos em alguns dos mais renomados hospitais da cidade de São Paulo, como o Albert Einstein, o Sírio Libanês e o São Luiz, entre outros.

Como você pôde ver, a lipoescultura é a técnica ideal para melhorar a bananinha do bumbum. No entanto, para garantir resultados efetivos e seguros, é fundamental escolher uma equipe médica de ponta, e um hospital com ótima infraestrutura.

Gostou de entender melhor as opções cirúrgicas para tratar a bananinha? Então não perca mais tempo e marque agora mesmo uma avaliação na Clínica Lange!

Assim, você poderá esclarecer todas as suas dúvidas diretamente com o Dr. Eduardo Lange, Membro Especialista e Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da International Society of Aesthetic Plastic Surgery e aliviar esse incômodo!

Prótese mamária pode influenciar na sensibilidade dos seios?

Prótese mamária pode influenciar na sensibilidade dos seios?

Apesar de ser uma das cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil, a cirurgia de prótese mamária ou mamoplastia de aumento ainda provoca dúvidas entre as mulheres. E uma das preocupações mais comuns entre quem pensa em realizar o procedimento diz respeito à sensibilidade dos seios.

Afinal, será que a cirurgia pode comprometer as sensações nessa zona erógena tão importante para a sexualidade feminina? Para compreender de vez essa questão, preparamos um guia com as perguntas mais comuns sobre o assunto. Acompanhe a leitura!

A prótese mamária pode realmente alterar a sensibilidade dos seios?

Teoricamente, sim, PORÉM, isso é extremamente raro. É importante destacar que essa perda de sensibilidade, na imensa maioria das vezes, é parcial e vai melhorando com o passar do tempo.

Em geral, naqueles casos raros de diminuição da sensibilidade, esta retorna ao longo dos meses. Isso ocorre por algum grau de inchaço pós-op. e pelo fato de ocorrer a criação de um espaço – que chamamos “loja”- onde o implante será posicionado.

A inervação à pele da mama e complexo aréolo-papilar – região que compreende a aréola e o mamilo (bico do peito) – é vasta, é uma conexão diminuta de nervos sensitivos. Como qualquer área cirúrgica que será submetida a um descolamento dos tecidos, existe uma mínima chance de ocorrer uma alteração na sensibilidade desta área num pós-op. recente.

Estas alterações de sensibilidade também tem um caráter individual: uma minoria mais suscetível, uma maioria menos. Também influencia a amplitude da área da loja: quanto maior a loja, mais descolamento, aumentando a chance de interferência na sensibilidade. Logo, é muito importante que o procedimento seja realizado por um profissional capacitado e com bastante experiência na técnica. Assim, além de diminuir as chances de alteração de sensibilidade, você também minimiza os riscos comuns a qualquer cirurgia e tem a garantia de alcançar os resultados que tanto deseja.

Quando a chance de alteração na sensibilidade das mamas é maior?

A alteração na sensibilidade após a mamoplastia de aumento – ainda que muito incomum – tem uma probabilidade maior de ocorrer nos casos onde grandes lojas foram criadas; seja para abrigar implantes de silicones de volume muito superior ao indicado para o biotipo daquela mulher, ou ainda, quando lojas foram criadas além do tamanho necessário.

Por isso, o ideal é que a paciente converse com um cirurgião plástico de sua confiança para entender o que é mais indicado no seu caso. Dessa maneira, paciente e médico podem decidir juntos por um implante cujo volume produza o efeito desejado, mas sem aumentar a chance de riscos funcionais à mama.

É importante saber que o contrário também pode acontecer: uma hipersensibilidade nos seios ou mamilos também é relatada por uma minoria de pacientes após a cirurgia, provocando um desconforto temporário.

Além disso, no pós-op. precoce, pode ocorrer uma dormência nas mamas, devido a anestesia e ao leve inchaço. Isso regride rapidamente, não é necessário se preocupar.

O que é possível fazer para melhorar a sensibilidade?

Massagear suavemente as mamas auxilia tanto na recuperação da sensibilidade, quanto na diminuição da hipersensibilidade dos seios e mamilos, muito em função de um leve inchaço natural. Respeitar o tempo de recuperação definitiva é fundamental, já que a maioria dos casos evolui com semanas a meses.

Lembre-se de que apesar de não ser uma cirurgia da alta complexidade, a mamoplastia de aumento é um procedimento cirúrgico, e como tal, deve ser respeitado em todas as fases: pré, trans e pós-operatório.

Muito mais importante do que tentar remediar complicações, é preveni-las. Distúrbios permanentes da sensibilidade das mamas pós implante são raríssimos, porém, quando ocorrem, são decorrentes, em sua imensa maioria, de uma falha no planejamento ou na execução da cirurgia.

Como escolher o cirurgião plástico ideal para o procedimento?

Certifique-se sempre de que o cirurgião plástico escolhido por você é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e tem experiência na realização da técnica.

Além de altamente capacitado, o profissional deve contar com uma clínica com todos os cuidados de pré e pós-operatório, e operar em hospitais que tenham toda a infraestrutura necessária de suporte.

Desconfie sempre de médicos que cobrem preços muito abaixo daqueles praticados no mercado. Cheque no site oficial e nas redes sociais do profissional os depoimentos de outras pacientes que já realizaram procedimentos cirúrgicos com ele, o que é um bom termômetro da qualidade dos serviços prestados.

Como você pode ver, escolher o tamanho adequado das próteses mamárias e a qualificação e experiência do cirurgião plástico são fatores fundamentais para quem deseja obter bons resultados sem qualquer comprometimento na sensibilidade dos seios e outras complicações tranquilamente evitáveis.

Gostou de saber mais sobre a cirurgia de prótese mamária? Se você quiser ler outros artigos sobre beleza e saúde,  acesse o blog da Clínica Lange!

Cirurgia plástica no bumbum: conheça as indicações

Cirurgia plástica no bumbum: conheça as indicações

Não é incomum que mesmo mulheres que têm uma alimentação regrada e praticam exercícios físicos com regularidade se vejam às voltas com uma gordurinha indesejada ou outra queixa sobre suas curvas. Por isso, a cirurgia plástica no bumbum tem se tornado uma alternativa cada vez mais atraente para quem deseja encontrar sua melhor versão.

Quando bem indicada e realizada por profissionais capacitados, técnicas como a prótese de glúteo e a lipoescultura podem fazer toda a diferença na conquista do bumbum dos sonhos. Saiba mais!

Cirurgia plástica no bumbum: conheça as alternativas

1. Prótese de glúteo

Também chamada de gluteoplastia de aumento, a cirurgia plástica para implante de glúteo é a solução ideal para mulheres que buscam um bumbum mais durinho e empinado. O procedimento cirúrgico dá volume à região e é especialmente recomendado para mulheres com glúteos pequenos, disformes, e até aqueles com um grau pequeno de flacidez.

A cirurgia plástica no bumbum só não é indicada para quem tem muita flacidez na região. Nesse caso, o ideal é retirar primeiro o excesso de pele para então implantar a prótese, que pode ficar no corpo por até 20 anos.

Tipo de implante mais adequado

Em conjunto com o cirurgião plástico de sua confiança, a paciente pode optar por volumes que costumam variar entre 250 a 350 ml, em média. Usamos o melhor implante de glúteo, que tem o formato anatômico, com um gel de alta coesividade e viscosidade, e com uma superfície super moderna e de alta durabilidade.

A cirurgia

A cirurgia de implante glúteo é feita com anestesia geral ou peridural, e dura de 1 a 2 horas. Através de uma incisão de 6 cm no sulco interglúteo (escondida, localizada entre as nádegas), o implante é acomodado dentro da musculatura glútea, de modo que fica natural e estável.

A paciente fica internada durante cerca de 10 horas e tem alta no mesmo dia.

O pós-operatório

A paciente deve ficar de  repouso principalmente nos primeiros 7 dias, para evitar o risco de hematoma e problemas na cicatrização.

Nesse período, as dores podem ser controladas com o uso de analgésicos. É necessário dormir de bruços e evitar pressão sobre os glúteos.

Passado esse prazo, a paciente já pode sentar ou deitar-se de costas por alguns períodos, sempre com cuidado. A higiene também precisa ser cuidadosa, devido à proximidade da cicatriz com o períneo.

2. Lipoescultura

É a cirurgia plástica no bumbum que utiliza a gordura retirada de outra região do corpo para remodelar ou preencher áreas deficientes nos glúteos. É uma boa técnica para atenuar a bananinha, aquela gordurinha localizada bem abaixo do sulco da nádega, que tanto incomoda as mulheres.

Quando realizado por profissionais altamente familiarizados com a técnica, o procedimento oferece resultados efetivos e duradouros, com segurança.

Indicação

A lipoescultura é indicada para pacientes que estejam com índice de massa corporal adequado, mas se incomodam com a gordura localizada, resistente tanto a dietas quanto aos exercícios físicos.

Vale lembrar que a lipoescultura não é um procedimento emagrecedor. Pacientes sobrepeso não têm indicação para a cirurgia. Portadores de doenças cardiovasculares e outros problemas crônicos, como hipertensão e diabetes também necessitam de avaliação prévia antes de se submeterem à lipoescultura.

A cirurgia

A gordura lipoaspirada passa por um processo de separação (elimina-se óleo, soro e gordura líquida), e na sequência, essa gordura rica em células-tronco, é inserida nas regiões deficientes, deixando o bumbum mais simétrico, redondo, e firme.

A cirurgia plástica no bumbum é realizada com anestesia geral, a mais segura de todas as modalidades de anestesia. As pacientes ficam internadas por um período que varia entre 12 e 24 horas, sendo que a maioria tem alta no mesmo dia.

O pós-operatório

Dependendo da magnitude da lipoescultura, algumas pacientes já podem retomar suas atividades com 5 dias de pós-op.

Exercícios físicos podem ser retomados entre 20 a 30 dias após a realização da lipoescultura. Deve-se atentar ao fato de que a maior integração da gordura enxertada será naquelas pacientes que fizerem um ótimo pós-op., sem excessos, e mantendo o repouso orientado. Também é recomendado o uso de um modelador especial que auxilia na manutenção dos resultados e na diminuição do inchaço na região.

O segredo do bumbum bonito

É cada vez maior o número de pacientes que são submetidas à gluteoplastia híbrida, ou seja, a combinação das duas técnicas para alcançar o melhor bumbum possível.

Enquanto a gluteoplastia de aumento trabalha para conseguir um bumbum redondinho e volumoso na medida certa, a lipoescultura atua para moldar e preencher o tecido glúteo nos seus contornos marginais, ao redor do implante. E para corrigir ao máximo a bananinha.

Para que os procedimentos sejam um sucesso, é de fundamental importância contar com um cirurgião plástico capacitado, que possua larga experiência nas duas técnicas, e seja membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Cheque também a qualidade do trabalho do profissional por meio da avaliação de quem já fez cirurgias com ele e verifique se ele dispõe de todos os fatores de segurança em gluteoplastia: 1) equipe médica qualificada; 2) cirurgia em hospital de qualidade reconhecida; 3) implante glúteo de primeira linha.

Gostou de saber mais sobre as cirurgias plásticas que podem deixar o seu bumbum bem mais atraente? Se você quer saber um pouco mais sobre o trabalho desenvolvido na Clínica Lange, acompanhe as publicações de nosso Blog.