11 . 2539.6470 / 11 . 2645.7298 / Whatsapp: (11) 96587-7395
Queloide: como identificar e tratar?

Queloide: como identificar e tratar?

Sempre que a pele é ferida, sobre ela forma-se um tecido fibroso para reparar e proteger a lesão.  Em alguns casos, esse tecido cresce formando uma cicatriz elevada. São os chamados queloides e, embora não causem danos à saúde, criam uma preocupação estética.

Esse foi o assunto tratado no programa Você Bonita, da TV Gazeta, tendo a participação especial do cirurgião plástico, Dr. Eduardo Lange.

Saiba mais sobre o tema e o que foi abordado no programa televisivo neste post.

Sintomas do Queloide

O queloide pode se formar em qualquer lugar do corpo, mas são mais comuns nas orelhas, ombros, peitos e costas. Os sintoma do queloide podem incluir:

  • coceira na pele;
  • área da pele elevada;
  • área com cicatriz que continua a crescer ao longo do tempo;
  • área de cor avermelhada, rosada ou roxa.

Pode-se levar de 3 meses até um ano até que o queloide apareça e cresça, podendo crescer lentamente por anos. Durante esse crescimento, pode haver coceira e sensibilidade no local  afetado, mas essas sensações cessam quando o queloide para de crescer – o seu tamanho varia muito e elas podem ser macias ou duras.

Causas do Queloide

De acordo com Dr. Eduardo Lange, “o queloide é uma cicatriz que não sabe o momento de parar. Na cicatriz normal há um mecanismo que equilibra o reparo do local afetado. No queloide, por um motivo desconhecido, isso não ocorre, criando um relevo na cicatriz.

As lesões mais comuns que levam ao surgimento de queloide são, entre outras:

  • queimaduras
  • locais de vacinação
  • arranhões
  • colocar brincos
  • piercings
  • tatuagens
  • acne grave
  • cortes

Estima-se que apenas 10% da população mundial tenha tendência para desenvolver o queloide, sendo mais comum em pessoas com histórico do problema na família, grávidas, quem tem ascendência latina ou asiática, adolescentes com problemas severos de acne, pessoas com menos de 30 anos.

Infelizmente não há nada que impeça o surgimento de queloides, porém, pessoas que possuem predisposição genética ou fazem parte do grupo de risco (citados anteriormente) podem repensar decisões como colocação de piercings, brincos ou fazer uma tatuagem.

Tratando o queloide

Queloides são difíceis de serem removidos, mas existem alguns tratamentos que se mostram satisfatórios. Veja alguns deles:

  • Congelamento da cicatriz: usado para reduzir a dureza e o tamanho do queloide, funciona melhor para cicatrizes menores;
  • Terapia a laser: ajuda a achatar o queloide e suavizar a cor da cicatriz.

A cirurgia plástica é uma forma segura de remover queloides e, para evitar o surgimento de nova cicatriz, queloides menores podem receber aplicação de corticoide injetável – no momento da cirurgia -, para inibir o crescimento da cicatriz.

Além disso, deve haver um acompanhamento rigoroso por parte do cirurgião plástico que, entre outras providências, pode efetuar compressão com gel de silicone ou compreensão mecânica – durante um período a ser avaliado casa a caso – para evitar que o queloide retorne.

Ele, também, destacou que uma incisão cirúrgica bem-feita, com bons materiais diminuem as chances de reincidência de queloide, assim como o avanço da idade torna a pessoa menos predisposta a ter a cicatriz.

No programa, Dr. Lange ressaltou que o fato de ter queloide uma vez, não significa que o paciente desenvolverá a cicatriz sempre. “Porém, é dever do médico avisar que há uma maior predisposição a isso“, ressaltou o cirurgião.

Como podemos notar, o queloide pode ser tratado. Mas é essencial contar com o acompanhamento de um profissional experiente e capacitado para obter os melhores resultados.

Se quiser saber mais sobre a queloide, assista na íntegra a entrevista com Dr. Eduardo Lange, no programa da TV Gazeta. 

Acompanhe, também, nosso blog e fique por dentro de novidades sobre beleza e bem-estar. Ou agende sua consulta agora mesmo!

Cirurgia plástica: existe um limite?

Cirurgia plástica: existe um limite?

Responda rápido: você sente muita vontade de se submeter a uma cirurgia plástica para corrigir aquela imperfeição que insiste em não deixá-la à vontade na frente do espelho ou do parceiro?

Obviamente, não há nada de errado com isso. Querer melhorar a própria imagem para se sentir ainda mais bonita e autoconfiante é um comportamento bastante natural.

No entanto, quando a obsessão com aquilo que se considera um defeito começa a ocupar um espaço excessivo na sua vida e a “necessidade” de realizar cirurgias plásticas nunca cessa, é preciso buscar entender melhor as causas dessa insatisfação.

Estima-se que no Brasil cerca de 150 mil pessoas por ano sejam diagnosticadas com transtorno dismórfico corporal, distúrbio que provoca uma preocupação excessiva com a autoimagem, levando o paciente a valorizar de maneira desproporcional um defeito que acredita ter na própria aparência.

Em muitos casos, na tentativa de sanar esse “defeito” — que pode ser mínimo ou mesmo inexistente — o paciente se exercita em excesso ou passa a recorrer a sucessivas cirurgias plásticas e procedimentos estéticos.

Cirurgia plástica: afinal, qual é o limite?

É nesse momento que um cirurgião plástico experiente e, principalmente, comprometido com valores éticos, faz toda a diferença. Isso porque é importante considerar que qualquer procedimento cirúrgico, por mais seguro que seja, envolve riscos. Por isso, é fundamental que o paciente seja submetido a uma avaliação criteriosa antes da indicação da cirurgia plástica.

Colocar seu desejo de mudança nas mãos de um profissional responsável é fundamental para obter resultados duradouros e seguros. Um cirurgião plástico experiente e ético é capaz de avaliar com franqueza e sinceridade se a cirurgia plástica é realmente indicada para o seu caso ou se trata-se de uma questão que precisa ser avaliada por outros profissionais, como psicólogos.

Profissionais com esse tipo de orientação também estão sempre dispostos a conversar com suas pacientes sobre suas expectativas com relação ao resultado que será obtido. Isso porque não é incomum encontrar pessoas que chegam ao consultório com projeções irreais a respeito das possibilidades de uma cirurgia plástica.

É sempre importante ter em mente que um procedimento cirúrgico envolve diversos fatores, que vão da idade e do histórico clínico da paciente à qualidade da sua pele. Por isso, o resultado obtido por uma amiga ou mesmo por uma celebridade não necessariamente será idêntico no seu caso.

Também é preciso se perguntar quais são os motivos que levam ao desejo de fazer uma cirurgia plástica. Também é bastante comum que algumas pacientes coloquem no procedimento expectativas irreais não só com relação aos resultados, mas às mudanças que a cirurgia trará para sua vida.

Lembre-se sempre de que trata-se de um procedimento estético que pode ajudá-la a sentir-se mais bonita e autoconfiante, não uma solução mágica para problemas que envolvem relacionamentos pessoais e profissionais, por exemplo.

Como escolher o profissional ideal para a cirurgia plástica?

Diante desse cenário, é fundamental escolher um cirurgião plástico experiente, que possa orientá-la de maneira realista tanto no que diz respeito à indicação do procedimento quanto aos resultados que poderão ser obtidos.

Considere sempre que, por maior que seja sua vontade de se submeter aquele procedimento, cirurgias plásticas conduzidas por profissionais sem a qualificação necessária ou sem a indicação adequada podem produzir resultados desastrosos, que deixarão marcas no seu corpo e na sua autoestima e podem até trazer riscos para a sua segurança e bem-estar.

Por isso, na hora de escolher o cirurgião plástico, leve em conta as seguintes dicas:

  • escolha um profissional com sólida experiência e que seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica;

  • desconfie de profissionais que cobram preços muito abaixo daqueles praticados pelo mercado ou que indicam qualquer tipo de cirurgia, sem se preocupar com suas reais necessidades. Na maioria dos casos, por mais frustrante que isso possa parecer, um profissional que se nega a realizar um determinado procedimento está zelando pela sua saúde e bem-estar;

  • verifique a infraestrutura de que o médico dispõe para realizar o procedimento: avalie se a clínica oferece o conforto e segurança necessária para o pré e pós-operatório e se as cirurgias são realizadas em hospitais bem equipados e com credibilidade no mercado;

Gostou de saber um pouco mais sobre a importância de escolher um cirurgião plástico experiente e os limites éticos que envolvem a realização de uma cirurgia plástica? Se você quiser saber mais sobre a infraestrutura e os procedimentos oferecidos pela Clínica Lange, entre em contato conosco! Será um prazer atendê-la!

Cirurgias plásticas e procedimentos estéticos que rejuvenescem  seu visual

Cirurgias plásticas e procedimentos estéticos que rejuvenescem seu visual

Que quando realizada por um profissional altamente capacitado, a cirurgia plástica rejuvenesce, ninguém duvida. No entanto, na hora de tomar a decisão, a grande variedade de técnicas e procedimentos pode provocar dúvidas até mesmo em quem já procurou se informar bastante sobre o assunto.

Afinal, quais tipos de cirurgias plásticas são mais indicados para quem quer garantir uma aparência mais jovem e descansada? A partir de que idade eles são recomendados? Será que o resultado vai ficar natural?

Para responder essas e outras questões, elaboramos uma lista com os procedimentos mais indicados para quem está pensando em renovar o visual. Acompanhe a leitura!

Cirurgia plástica rejuvenesce? Confira os procedimentos que provam que sim!

1. Blefaroplastia

Se a ideia é fazer uma cirurgia plástica que rejuvenesce, a blefaroplastia precisa estar no topo da sua lista. O procedimento tem como objetivo eliminar o excesso de pele que se forma na região ao redor dos olhos e deixa o paciente com um aspecto cansado e envelhecido.

Realizada com anestesia local com sedação ou geral, a cirurgia atua nas pálpebras inferiores e superiores e oferece excelentes resultados, que podem ser observados já nas primeiras semanas após a intervenção, quando o inchaço começa a regredir.

O pós-operatório é bastante simples — em geral, o médico recomenda o uso de compressas com soro fisiológico e a administração de pomadas lubrificantes —, o que permite um rápido retorno às atividades diárias.

A cirurgia é recomendada para homens e mulheres que se incomodam com a aparência envelhecida provocada pelo excesso de pele nessa região e buscam um procedimento seguro e efetivo.

2. Lifting facial

Procedimento que figura entre os favoritos entre as mulheres acima dos 50 anos, o lifting facial é uma cirurgia plástica que rejuvenesce a paciente em até 15 anos com resultados bastante naturais.

A técnica consiste na realização de incisões ao redor do couro cabelo e da orelha para promover a retirada do excesso de pele e o levantamento dos músculos e estruturas da face, reduzindo ou mesmo eliminando a flacidez, rugas e marcas de expressão dessa região.

Embora seja uma cirurgia plástica recomendada para homens e mulheres a partir dos 50 anos, o procedimento pode ser realizado antes dessa idade em pacientes que possuem predisposição genética para flacidez e naqueles que apresentam a pele do rosto envelhecida precocemente por questões ligadas ao estilo de vida, como excesso de exposição ao sol, alimentação pouco equilibrada ou tabagismo.

Um dos maiores benefícios associados à técnica são os resultados naturais que ela apresenta, já que o lifting facial não deixa a pele  do paciente com aspecto “repuxado” ou “plastificado”.

Para garantir o sucesso do procedimento é importante não deixar a realização da cirurgia plástica para depois: quando realizado antes dos 60, o lifting facial oferece melhores resultados que após essa idade.

3. Toxina botulínica

Embora não se trate de uma cirurgia plástica, mas de um procedimento estético, a aplicação de toxina botulínica figura entre as alternativas mais populares e eficazes para mulheres que buscam rejuvenescer ou mesmo evitar o envelhecimento precoce de maneira simples e rápida.

O procedimento é minimamente invasivo, sem a necessidade da realização de cortes, e pode ser realizado em 20 minutos no consultório médico, após os quais a paciente pode retomar suas atividades diárias normalmente.

A aplicação de toxina botulínica deixa a pele com um aspecto liso e revitalizado, eliminando principalmente as rugas de expressão que se formam na testa, na região ao redor dos olhos, no espaço entre as sobrancelhas e na área ao redor do nariz.

O procedimento paralisa os músculos dessas regiões, o que além de diminuir as rugas ajuda a retardar o processo de envelhecimento. A aplicação de toxina botulínica é indicada para pacientes a partir dos 35 anos, o que além de garantir excelentes resultados ajuda a postergar bastante a necessidade de realização de uma cirurgia plástica.

É importante ressaltar que para garantir resultados efetivos e seguros, cirurgias plásticas devem ser realizadas exclusivamente por médicos altamente capacitados para a realização desses procedimentos.

Escolha sempre um profissional que seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e possua experiência comprovada na realização da técnica. Desconfie sempre de preços muito abaixo daqueles praticados no mercado e escolha um profissional capaz de realizar uma indicação bem planejada, adequada às suas necessidades.

Gostou de saber mais sobre cirurgias plásticas que rejuvenescem? Se você ficou interessada na realização desses procedimentos, conheça a Clínica Lange e venha ficar ainda mais bonita!

O inverno é excelente para fazer sua cirurgia. Saiba porque!

O inverno é excelente para fazer sua cirurgia. Saiba porque!

Além de combinar perfeitamente com bebidas quentes e programas mais intimistas, dias frios são também uma oportunidade perfeita para cuidar melhor da sua beleza e autoestima. Fazer uma cirurgia plástica no inverno traz uma série de vantagens para quem deseja chegar à estação mais quente do ano satisfeita com aquilo que vê no espelho e acelerar a recuperação.

Entenda melhor!

5 motivos para fazer sua cirurgia plástica no inverno

1. A recuperação é mais rápida

Ao fazer uma cirurgia plástica no inverno você tende a reter menos líquido e a sofrer menos com os inchaços e edemas que costumam ser bastante comuns em quem se submete a esse  tipo de procedimento.

Com isso, a recuperação acontece de maneira mais ágil e você pode retomar suas atividades normais mais rapidamente.

2. A menor exposição ao sol favorece a cicatrização

Como nessa época do ano você vai estar naturalmente menos exposta ao sol e com roupas que protegem mais a pele, as chances de que as cicatrizes deixadas pelo procedimento fiquem manchadas ou escurecidas caem drasticamente.

De qualquer maneira, a recomendação é a mesma em qualquer época do ano: no pós-operatório, evite expor-se ao sol no período indicado pelo cirurgião plástico e, sempre que precisar sair de casa, capriche no filtro solar e em outras medidas de proteção do sol, como chapéus, viseiras e óculos escuros.

3. A temperatura garante maior conforto no pós-operatório

Outra grande vantagem de fazer sua cirurgia plástica no inverno é que as baixas temperaturas garantem maior conforto no pós-operatório. Isso porque é bastante comum que após alguns procedimentos seja necessário usar cintas e sutiãs específicos para essa etapa, que podem incomodar bastante nos dias de verão.

Com o tempo mais ameno, é possível utilizar esse tipo de acessório com mais tranquilidade do que em dias quentes e, principalmente, com mais discrição.

Em palavras simples, roupas que cobrem mais o corpo deixam você mais à vontade durante a recuperação e evitam a exposição desnecessária de edemas e cicatrizes que podem deixá-la desconfortável.

4. Há mais tranquilidade para fazer repouso

Realizar sua cirurgia plástica no inverno também ajuda você a manter o repouso necessário após esse tipo de procedimento.

Diferente do que acontece no verão, as baixas temperaturas são um convite para ficar relaxada, curtindo um bom filme na cama ou no sofá, o que garante maior tranquilidade para que seu organismo se recupere.

Quando você passa mais tempo tranquila, sem movimentação excessiva ou movimentos bruscos, os vasos sanguíneos se dilatam menos e a retenção de líquidos é menor. Resultado: em menos tempo, você vai estar mais bem disposta para retomar suas atividades normais com total segurança.

Para pacientes que possuem filhos, é possível aproveitar ainda as férias escolares do meio do ano. Com a agenda menos atribulada pelos compromissos diários dos pequenos, fica mais fácil fazer essa pausa tão necessária para obter os melhores resultados da cirurgia plástica.

5. Permite que você esteja recuperada para o verão

Praia, piscina, reuniões com os amigos… O verão é um convite para as atividades ao ar livre e com roupas que deixam o corpo naturalmente mais à mostra, não há como negar.

Por isso, quando você opta por fazer sua cirurgia plástica no inverno, consegue contar com tempo suficiente para estar totalmente recuperada e curtir  a estação mais quente do ano.

Isso porque até a chegada do verão, além de ter cumprido o período de repouso determinado pelo médico, você terá tido tempo de sobra para eliminar o inchaço e poderá usufruir dos resultados finais da cirurgia plástica.

É importante ainda que você tenha em mente que mais importante que a estação do ano escolhida para realizar a cirurgia plástica é o profissional que vai executá-la. Antes de tomar a decisão final, certifique-se de que o médico escolhido é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e tem ampla experiência na realização do procedimento.

Além disso, certifique-se de que o profissional conta com uma clínica com infraestrutura completa para atender os pacientes no pré e pós-operatório e realiza a cirurgia plástica em hospitais com credibilidade no mercado. Lembre-se sempre que sua segurança deve vir em primeiro lugar!

Gostou de saber mais sobre as vantagens de fazer sua cirurgia plástica no inverno? Então aproveite para se informar melhor sobre procedimentos estéticos no nosso blog! OU agende agora a sua consulta!

Assimetria nos seios? Implantes mamários podem ajudar

Assimetria nos seios? Implantes mamários podem ajudar

Na hora de colocar um biquíni ou mesmo aquele decote, você já se sentiu incomodada com a diferença de volume entre os seus seios? Acredite, você não está sozinha, até porque todas as mulheres tem algum grau de assimetria mamária; ela é uma questão mais comum do que se imagina. A boa notícia é que o desconforto tem solução, e na maior parte dos casos, atende pelo nome de implantes mamários.

Entenda melhor!

Afinal, o que é assimetria mamária?

Em primeiro lugar, é importante que você tenha em mente que o corpo é naturalmente assimétrico. No entanto, muitas vezes essa falta de igualdade entre um lado e outro é imperceptível e, em outros, é maior e pode incomodar.

Em geral, a assimetria mamária é caracterizada por diferenças no aspecto dos seios das mulheres que não se limitam ao volume, mas também ao formato, posição e tamanho das aréolas, prolongamento lateral da mama e inserção no tórax.

Normalmente, o problema estético costuma incomodar com maior frequência quando aparece em grau mais elevado, ou seja, quando um lado do sutiã fica menos preenchido que o outro, ou quando esta diferença fica visível em roupas mais justas, no biquini, etc.

Quando a assimetria mamária deve ser corrigida?

A assimetria mamária deve ser corrigida sempre que provocar incômodo ao bem-estar emocional e a autoestima da paciente. Quando o pensamento sobre o assunto é recorrente, isto é, sempre ao olhar no espelho, a mulher lembra daquilo.

Como a assimetria mamária pode ser corrigida?

Embora as maneiras de corrigir a assimetria mamária possam variar de acordo com o tipo e o grau do problema, uma das maneiras maneiras mais simples de resolver a questão é mesmo realizando a cirurgia de implantes mamários.

A técnica, além de segura, deixa cicatrizes pequenas e é uma das mais eficientes para minimizar a diferença entre os seios, já que é possível implantar, por exemplo, uma prótese  de silicone de 300 ml na mama esquerda e outra de 350 ml na mama direita, corrigindo a discrepância entre elas.

Se a assimetria mamária estiver relacionada ao posicionamento da mama, e também à aréola, a mastopexia – cirurgia que pode envolver tanto o reposicionamento do complexo aréolo-papilar, como a remoção de pele e levantamento da mama -, é mais indicada.

Os implantes mamários e a mastopexia eliminam totalmente a assimetria?

É importante ter em mente que nem os implantes mamários e nem a mastopexia são capazes de eliminar a assimetria mamária em sua totalidade. Isso porque, como dissemos anteriormente, o corpo é naturalmente assimétrico e é impossível deixar as duas mamas exatamente idênticas.

Também leve em consideração que os seios ficam discretamente inchados durante algumas semanas após a inserção dos implantes mamários e que é preciso seguir atentamente as recomendações médicas no que diz respeito ao pós-operatório para garantir o sucesso do procedimento.

Além disso, fique bastante atenta na hora de escolher o cirurgião plástico que será responsável pela correção da sua assimetria e, consequentemente, pelos seus implantes mamários.

Certifique-se de que estará nas mãos de um profissional experiente e altamente gabaritado. Isso porque, em geral, assimetrias muito pequenas não têm indicação de cirurgia, já que o procedimento provoca cicatrizes que podem variar em tamanho e qualidade.

Por isso, é importante confiar o seu caso a um profissional que coloca o bem-estar de suas pacientes em primeiro lugar. Quando uma avaliação responsável e coerente irá determinar se a sua assimetria mamária necessita realmente de correção cirúrgica além dos implantes. Uma mamoplastia ou mastopexia desnecessária, por indicação equivocada, é um caminho sem volta, pois as cicatrizes decorrentes do procedimento ficarão para sempre. Mesmo que melhorem com o tempo.

Durante a consulta, além da sua saúde e histórico médico, o profissional irá avaliar algumas medidas, como a altura, seu biotipo, o diâmetro e a distância entre as aréolas, sulco inframamário, qualidade da pele e tecido mamário…. Também vai pedir exames de rotina para certificar-se de que você está realmente apta para a realização da cirurgia de implantes mamários.

Desconfie de profissionais que apresentam os implantes mamários ou qualquer outro procedimento como solução para a assimetria sem nem mesmo avaliar o seu caso com detalhismo. Lembre-se sempre de que um cirurgião plástico de confiança irá sempre pesar os prós e contras da cirurgia para cada paciente antes de fazer a indicação do procedimento. Ética é indicar o melhor procedimento para você; e não o mais rentável ao médico.

Como você pode ver, aquela assimetria entre as mamas que tanto te incomoda tem solução! Em grande parte dos casos, os implantes mamários minimizam o problema de maneira a torná-lo praticamente imperceptível, devolvendo a autoestima e o bem-estar da paciente.

Gostou de saber mais sobre as possibilidades de correção da assimetria das mamas? Se você ainda tem dúvidas sobre a eficácia dos implantes mamários na solução do problema, confira os depoimentos de quem já fez a cirurgia! Se preferir, entre em contato com a Clínica Lange.